Por poéticas decoloniais na música contemporânea

Contradições, apontamentos e perspectivas

Autores

  • Vinicius Cesar de Oliveira Universidade Estadual de Campinas
  • Pedro Yugo Sano Mani Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.52930/mt.v9i1.271

Resumo

Em meio às repercussões dos processos históricos de colonização, os conceitos de colonialidade e modernidade exercem profunda influência nas construções coletivas e individuais. Apesar da transformação destes processos em diferentes manifestações, a colonialidade persiste como uma força latente de dominação capaz de moldar o pensamento coletivo em múltiplas camadas. Consequentemente, a prática musical como componente dessas camadas incorpora seus paradigmas, afetando a escuta, a educação e até mesmo o imaginário sonoro e musical. Este texto busca propor discussões no contexto da música contemporânea, investigando como o fenômeno da colonialidade sublinha as práticas composicionais. Paralelamente, aborda a busca de caminhos decoloniais e, ao mesmo tempo, problematiza a ideia de soluções fechadas e definitivas. Para tal, elucidamos os conceitos de colonização, colonialidade, decolonialidade e modernidade, contextualizando-os no domínio das práticas musicais. Posteriormente, avaliamos possíveis caminhos decoloniais e as contradições que surgem quando adotamos esta postura na criação musical, com exemplos específicos do cenário da música contemporânea e de nossas próprias composições musicais.

Biografia do Autor

Vinicius Cesar de Oliveira, Universidade Estadual de Campinas

Vinícius César de Oliveira é compositor, pesquisador e Mestre em Música (2022) - Processos Criativos, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Sua atuação abrange as áreas de composição, análise musical, composição assistida por computador e computação musical. Como compositor, se dedica à escrita instrumental/vocal, abrangendo tanto obras solistas, quanto para grupos de câmara e orquestra, frequentemente incorporando eletrônica em tempo-real. Seu interesse específico reside no uso de novas tecnologias aplicadas à composição, especialmente na concepção de interações entre a escritura instrumental e os processos interativos computacionais. Atualmente desenvolve pesquisa de doutorado na Universidade Estadual de Campinas, sob a orientação do Prof. Dr. José Henrique Padovani. Seu trabalho foca na apropriação composicional de técnicas de escuta e aprendizado de máquina no contexto da live-electronics, buscando explorar novas fronteiras na interação entre a dimensão  instrumental e a dimensão eletroacústica.

Pedro Yugo Sano Mani, Universidade Estadual de Campinas

Compositor e violonista, atualmente desenvolve pesquisa de doutorado em Música - Linguagem e Sonologia pela Universidade Estadual de Campinas, sob orientação de Denise Garcia. Essa investigação volta-se à noção de "solfejo" na composição e lida com os intercâmbios de construções perceptivas e imagéticas no ato criativo, em diálogo com propostas de Gilbert Simondon. Fez mestrado em Sonologia - Processos de Criação Musical sob orientação de Silvio Ferraz pela Universidade de São Paulo, paralelamente realizando em 2020 uma pesquisa BEPE (Bolsa Estágio de Pesquisa no Exterior) da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) na Université Paris 8 (França), com supervisão de Makis Solomos. Graduou-se em Música - Habilitação em Composição na Universidade de São Paulo. Atua como compositor de músicas instrumentais e vocais de concerto, assim como trilhas originais para teatro e produções audiovisuais.

Downloads

Publicado

2024-06-30 — Atualizado em 2024-07-01

Versões

Edição

Seção

Artigos