Teoria das tópicas

um balanço pessoal

Autores

  • Acácio Piedade Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.52930/mt.v8i2.276

Resumo

Neste breve artigo discuto uma proposta de aplicação da teoria das tópicas no caso da música brasileira conforme desenvolvi em publicações do final dos anos 1990. Pretendo mostrar como se desenvolveu essa perspectiva, que une o olhar antropológico ao musicológico, através do exame de alguns pontos críticos e limitações da teoria das tópicas. Partindo da investigação do jazz brasileiro, comento aspectos da retórica e do nacionalismo e, finalmente, trato da teoria das tópicas. O artigo termina destacando os desafios para o estudo da significação musical na atualidade.

Biografia do Autor

Acácio Piedade, Universidade do Estado de Santa Catarina

Acácio Piedade possui graduação em música pela Universidade Estadual de Campinas (1985), mestrado e doutorado em antropologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997, 2004). Realizou pós-doutorado em musicologia na Université de Paris Sorbonne, França (2011), e pós-doutorado em música transcultural/composição na Hochschule für Musik Franz Liszt - Weimar, Alemanha (2019). Como compositor, possui prêmios e obras selecionadas e encomendadas para concertos, gravações e festivais nacionais e internacionais. É professor titular aposentado do Departamento de Música e membro do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Música no Universidade do Estado de Santa Catarina. Como pesquisador, atua nas áreas da composição, análise e etnomusicologia, envolvendo temáticas como criação e significação musical, tópicas, intertextualidade e transculturalidade.

Downloads

Publicado

2023-12-31

Edição

Seção

Artigos